Alegrai-vos sempre no Senhor…

26 de fevereiro de 2010

Filipenses 4.4:  “Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos. Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens  Perto está o Senhor. Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus”.

Alegrai-vos sempre no Senhor…

A carta de Paulo aos filipenses é especificamente dirigida, dentre outros crentes de Filipos, à Lídia e à sua casa e ao Carcereiro com a toda a sua casa. Atos 16.12-34 diz:

“e dali, a Filipos, cidade da Macedônia, primeira do distrito e colônia. Nesta cidade, permanecemos alguns dias. No sábado, saímos da cidade para junto do rio, onde nos pareceu haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido. Certa mulher, chamada Lídia, da cidade de Tiatira, vendedora de púrpura, temente a Deus, nos escutava; o Senhor lhe abriu o coração para atender às coisas que Paulo dizia. Depois de ser batizada, ela e toda a sua casa, nos rogou, dizendo: Se julgais que eu sou fiel ao Senhor, entrai em minha casa e aí ficai. E nos constrangeu a isso. Aconteceu que, indo nós para o lugar de oração, nos saiu ao encontro uma jovem possessa de espírito adivinhador, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores. Seguindo a Paulo e a nós, clamava, dizendo: Estes homens são servos do Deus Altíssimo e vos anunciam o caminho da salvação. Isto se repetia por muitos dias. Então, Paulo, já indignado, voltando-se, disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, eu te mando: retira-te dela. E ele, na mesma hora, saiu. Vendo os seus senhores que se lhes desfizera a esperança do lucro, agarrando em Paulo e Silas, os arrastaram para a praça, à presença das autoridades; e, levando-os aos pretores, disseram: Estes homens, sendo judeus, perturbam a nossa cidade, propagando costumes que não podemos receber, nem praticar, porque somos romanos. Levantou-se a multidão, unida contra eles, e os pretores, rasgando-lhes as vestes, mandaram açoitá-los com varas.  E, depois de lhes darem muitos açoites, os lançaram no cárcere, ordenando ao carcereiro que os guardasse com toda a segurança. Este, recebendo tal ordem, levou-os para o cárcere interior e lhes prendeu os pés no tronco. Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, e os demais companheiros de prisão escutavam. De repente, sobreveio tamanho terremoto, que sacudiu os alicerces da prisão; abriram-se todas as portas, e soltaram-se as cadeias de todos.  O carcereiro despertou do sono e, vendo abertas as portas do cárcere, puxando da espada, ia suicidar-se, supondo que os presos tivessem fugido. Mas, Paulo bradou em alta voz: Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos! Então, o carcereiro, tendo pedido uma luz, entrou precipitadamente e, trêmulo, prostrou-se diante de Paulo e Silas. Depois, trazendo-os para fora, disse: Senhores, que devo fazer para que seja salvo? Responderam-lhe: Crê no Senhor Jesus e serás salvo, tu e tua casa. E lhe pregaram a palavra de Deus e a todos os de sua casa. Naquela mesma hora da noite, cuidando deles, lavou-lhes os vergões dos açoites.  A seguir, foi ele batizado, e todos os seus. Então, levando-os para a sua própria casa, lhes puseram a mesa; e, com todos os seus, MANIFESTAVA GRANDE ALEGRIA, POR TEREM CRIDO EM DEUS.’

Alegrai-vos no Senhor é uma exortação a continuar exultante por aquilo que aconteceu conosco no que diz respeito à salvação. Nós nascemos de novo através do poder do Espírito Santo e da palavra de Deus.  Isso é tremendo. Temos que tomar cuidado para não nos comprometermos novamente com o pecado, pois, o pecado entristece o Espírito Santo que habita em nós.  E essa alegria a qual se refere as escrituras é a alegria no Espírito Santo. O rei Davi, após ter sido tentado pela sua cobiça de ter sido vencido em um duelo contra o pecado, já arrependido, orou ao Senhor:

Salmo 51: “Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões. Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar. Eu nasci na iniquidade, e em pecado me concebeu minha mãe. Eis que te comprazes na verdade no íntimo e no recôndito me fazes conhecer a sabedoria. Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais alvo que a neve. Faz-me ouvir júbilo e alegria, para que exultem os ossos que esmagaste. Esconde o rosto dos meus pecados e apaga todas as minhas iniquidades. Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável. Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito. Restitui-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário. Então, ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores se converterão a ti. Livra-me dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação, e a minha língua exaltará a tua justiça. Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca manifestará os teus louvores. Pois não te comprazes em sacrifícios; do contrário, eu tos daria; e não te agradas de holocaustos.  Sacrifícios agradáveis a Deus são o espírito quebrantado; coração compungido e contrito, não o desprezarás, ó Deus. Faze bem a Sião, segundo a tua boa vontade; edifica os muros de Jerusalém.  Então, te agradarás dos sacrifícios de justiça, dos holocaustos e das ofertas queimadas; e sobre o teu altar se oferecerão novilhos”.

Se você precisa repetir essa oração então comece agora mesmo.  Abra a tua boca e comece a falar em voz alta, pois, Deus é misericordioso e te perdoa agora mesmo. Não perca a alegria da salvação, não perca o espírito voluntário. E principalmente você que é um ministro do altar, absolutamente, não perca o espírito voluntário.

Alergrai-vos sempre no Senhor. Pois, a alegria do Senhor é a vossa força. E se a alegria no Senhor é a nossa força, a tristeza do Espírito Santo é a nossa fraqueza, portanto, não entristeçamos ao Espírito Santo que o Senhor fez habitar em nós.

Efésios 4:30- 5:1-4 “E não entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção… (COMO PODEMOS FAZER ISSO????) Longe de vós, toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmias, e bem assim toda malícia. Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou. Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo nos amou e se entregou a si mesmo por nós, como oferta e sacrifício a Deus, em aroma suave. Mas a impudicícia e toda sorte de impurezas ou cobiça nem sequer se nomeiem entre vós, como convém a santos; nem conversação torpe, nem palavras vãs ou chocarrices, coisas essas inconvenientes; antes, pelo contrário, ações de graças.”

Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor. O Senhor está perto, por isso podemos ser moderados ao passarmos pelas provas. Precisamos dar bom testemunho mesmo nos momentos em estamos inseguros e confusos. A nossa insegurança e confusão não mudam os princípios bíblicos, não mudam a fidelidade de Deus. O Senhor é bom e a sua misericórdia dura para sempre e de geração em geração a sua fidelidade.

O apóstolo Paulo nos exorta a viver de modo digno da vocação que fomos chamados (Efésios4).  Entretanto, antes do chamado ministerial nos somos chamados a ser mais que vencedores. Antes de ser um homem ou mulher de Deus, o homem tem ser homem e a mulher tem de ser mulher, pessoas de fibra, bravos, homens e mulheres de caráter firme diante de Deus, dos homens e das circunstâncias. Nós não somos coitadinhos, somos mais que vencedores, é isso que somos, pois é isso que a Bíblia diz que somos. Temos que aprender a preservar a dignidade cristã mesmo nos momentos mais difíceis. E isso depende do ponto de visto que encaramos um problema, por exemplo, se perder o emprego, se declare um empresário, mesmo que esteja vendendo doce na parada do ônibus. Isso não é mentira…  Um vendedor de doces, de picolé, enfim, é um comerciante. O rei Davi quando enfrentou o gigante Golias conseguiu ver o problema sobre outra perspectiva. Enquanto o exército de Israel estava contemplando o gigante Davi estava contemplou o Deus do céu, muito maior do que o gigante e ele disse ao gigante: “hoje o Senhor te entregará em minhas mãos…”

1 Samuel 17:37 “Disse mais Davi: O SENHOR me livrou das garras do leão e das do urso; ele me livrará das mãos deste filisteu. Então, disse Saul a Davi: Vai-te, e o SENHOR seja contigo…. Hoje mesmo, o SENHOR te entregará nas minhas mãos…”

E nós somos hoje o que acreditamos e confessamos ontem. E amanhã seremos o que cremos e confessamos hoje… Davi declarou ao gigante (sua circunstância) tudo que ocorreria com ele antes dos fatos… os fatos se alinharam aas palavras que saíram da boca de Davi. É vital, no meio das circunstâncias, declarar o fim que desejamos alcançar. Não adianta ficar murmurando, com negativismo. Isto só piora a coisas. Jeremias 29:11 “Eu é que sei que pensamentos tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que desejais.”, ou seja, temos que desejar alguma coisa…

Voltando ao assunto, se acabar a comida, declare oficialmente um jejum em adoração a Deus, mas não passe fome. Ouvimos histórias de pessoas que morrem de fome, mas, se ao invés de passar fome, jejuar, lá para o terceiro dia Deus enviará um anjo para servir esse crente. Aleluia! Jó após ouvir as piores notícias da sua vida, dentre elas que todos os seus filhos haviam morrido em um só dia, a Bíblia diz que ele se prostrou e adorou a Deus. Viver de modo digno da vocação para a qual fomos chamados é viver com moderação e isso depende do nosso ponto de vista no tocante aos problemas normais da vida. Tem gente que consegue ver dez problemas em uma solução, mas o Espírito de Deus pode ajudar você a ver dez soluções em um problema. Vivamos com moderação, pois perto está o Senhor.

Não andeis ansiosos por coisa alguma…

O ser humano é ansioso por natureza, pois fomos criados assim. E ao dizer “não andeis ansioso”, de forma nenhuma se deseja anular a nossa humanidade, mas, canalizar a ansiedade para o lugar certo, melhor dizendo, para a pessoa certa. A ansiedade não foi criada por Deus para ser depositada em coisas. Ela foi criada para ser depositada em pessoas, mais especificamente na pessoa do próprio Deus, pois, a ansiedade é um tempero todo especial no relacionamento amoroso, e ainda mais especial na adoração a Deus. Às vezes o nosso coração até dói desejando por mais de Deus. A ansiedade é um ingrediente do amor. A Bíblia diz que o Espírito Santo de Deus nos ama tanto que Ele anseia por nós até com ciúmes (Tiago4). Quando estamos amando alguém, a ansiedade dá aquele “azedinho” dentro da gente – isto é ruim e gostoso ao mesmo tempo.

Nos salmos 42: “Minha alma anseia pelo Deus vivo…” , no Salmo 84 “a minha alma suspira e desfalece pelos átrios do Senhor…”, Salmo 119:173: “Suspiro, Senhor pela tua salvação…”

O suspiro é uma materialização da ansiedade. Até mesmo nos momentos de grande pressão suspiramos ansiando por um descanso. E quando assim fazemos encontramos o descanso imediato e encontramos o caminho para o descanso mais duradouro. O suspiro é uma linguagem espiritual, é como um clamor sem palavras, uma comunicação silenciosa para os homens, mas no céu chega como um grito da alma faminta e sedenta pela presença e pelo socorro do Todo Poderoso.

O suspiro é o grito do silêncio…

Recapitulando, não andeis ansiosos POR COISA ALGUMA.  Mas, anseie pela presença de Deus a cada dia. Canalize sua ansiedade para buscar a face do Todo Poderoso.

Em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças… por que? Porque as necessidades são reais; as situações estão aí a cada dia. Por isso, EM TUDO, sejam conhecidas diante de Deus nossas petições. Como? Através da oração, da súplica e de ações de graças…

O que é oração? O que é súplica?

Orar é falar. Não é pensar, é falar. É falar num ambiente de profunda adoração para que as necessidades não se tornem mais importantes que Deus. Se esse entendimento entrar em você, nenhuma das suas orações cairá por terra.  Esse entendimento é tão profundo e eu quero aprimorá-lo um pouco mais.

Salmo 138 diz que antes que da palavra chegar à nossa boca o Senhor já a conhece toda. Isso nos diz que o clamor não é algo da boca para fora, é algo da boca para dentro, embora tenha que ser pronunciado em alto e bom som. É uma voz que vem do mais profundo do coração e da alma do necessitado. Mas, se Deus conhece as minhas palavras antes que cheguem aa minha boca, porque mesmo assim ainda preciso clamar? A resposta, meu amigo, minha amiga é que a palavra estabelece as coisas no mundo natural. Esse chão que você está pisando agora mesmo foi criado pela palavra de Deus. O poder opera através da palavra proclamada com fé de que Deus é capaz de realizar aquilo que aos olhos humanos parece impossível. O mundo que vemos veio a existir e é sustentado a cada segundo por meio da palavra de Deus. Lembre-se: hoje você é fruto do você ou alguém falou a seu respeito no passado e o seu futuro está na sua língua.

Provérbios 18.21: “A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza come do seu fruto.”

Hebreus 5:7 “Ele, Jesus, nos dias da sua carne, tendo oferecido, com forte CLAMOR E LÁGRIMAS, ORAÇÕES E SÚPLICAS a quem o podia livrar da morte e tendo sido ouvido por causa da sua piedade…”

Por este texto acima citado vemos que o nosso Senhor Jesus ofereceu, com forte clamor e lágrimas, orações e súplicas. Este texto descreve a intensidade da oração do Senhor, ou seja: forte clamor e também descreve a intensidade da súplica: lágrimas, ou seja, a oração são declarações poderosas levadas aos gritos=clamor… e a súplica é o clamor, o grito levado ao extremo das lágrimas. Isaías 57:15 “Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome de Santo: Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos”.

Com ações de graças…

O que são ações de graças? Ações de graças são atitudes de gratidão. Nos são pensamentos, nem palavras apenas. São atitudes de gratidão. Atitude é uma linguagem que o céu entende. Deus não apenas amou o mundo. Ele não apenas proclamou esse amor através dos profetas… Ele fez mais que isso, ele deu o que ele tem de mais precioso no céu, seu amado Filho Jesus Cristo. Essa é a linguagem celestial: se você crê, fale, se você fala você faz. CREIA, PROCLAME E FAÇA. O dízimo, por exemplo, é uma expressão de gratidão (ação de graças) por tudo aquilo que o Senhor Deus já nos deu. A oferta é uma expressão de gratidão a Deus (ação de graças) por aquilo que Ele nos dará, é uma adoração por fé.

Desafio você a “canalizar sua ansiedade para o Senhor”, para buscar a sua magnífica presença, a crer, proclamar e partir para algo prático, para as vias de fato (ações de graças). Se você assim fizer o inevitável acontecerá. A paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o teu coração e a tua mente em Cristo Jesus.

Mas, se você insistir em viver apenas focado nas coisas materiais, fazendo do dinheiro, e do destino (futuro) o centro da sua vida, fazendo deles do teu deus,  e se apartar do Senhor seu Deus e do  santo monte do Senhor (que a igreja), se insistir a canalizar sua ansiedade para as “coisas”, o inevitável também acontecerá.

Isaías 65:11 “Mas a vós outros, os que vos apartais do SENHOR, os que vos esqueceis do meu santo monte, os que preparais mesa para a deusa Fortuna e misturais vinho para o deus Destino,  também vos destinarei à espada, e todos vos encurvareis à matança; porquanto chamei, e não respondestes, falei, e não atendestes; mas fizestes o que é mau perante mim e escolhestes aquilo em que eu não tinha prazer. Pelo que assim diz o SENHOR Deus: Eis que os meus servos comerão, mas vós padecereis fome; os meus servos beberão, mas vós tereis sede; os meus servos se alegrarão, mas vós vos envergonhareis; os meus servos cantarão por terem o coração alegre, mas vós gritareis pela tristeza do vosso coração e uivareis pela angústia de espírito.”

Mas eu estou confiante e esperançoso, irmãos, embora escreva desta maneira, que você faz parte de uma santa geração, que, assim como eu está aprendendo as coisas de Deus com temor.  Estou confiante porque, se você se interessou em ler um artigo como este é porque existe uma sede por mais de Deus em seu coração e ele está procurando por Deus e ele vai encontrar a Deus. Este ensino e exortação visam abalar as nossas estruturas para que as mesmas possam ser reconstruídas por Deus segundo a sua vontade e sua verdade. Não é uma palavra de juízo, e sim uma exortação de amor.

Estamos vivendo dias em que a questão financeira e a garantia de dias futuros estão sendo colocadas de forma muito peculiares, inclusive  do púlpito das igrejas. Tem igreja que toda a sua forma de evangelismo está focada na prosperidade financeira. Temos que nesse momento evitar os extremos para não passar a fazer do nosso sucesso futuro o nosso deus, esquecendo-nos do Deus Verdadeiro, ou apenas usando-o para alcançar nossos objetivos. Vem, voltemos os nossos olhos para o Senhor e todas as outras coisas nos serão acrescentadas.


Publicado por às 7:28 pm




Comentários

Fábrica Imaginária