Adoração ao Deus verdadeiro

2 de janeiro de 2012

A Palavra do Senhor é simplesmente surpreendente. Cada vez que a lemos certamente descobrimos, por meio da iluminação do Espírito Santo, revelações novas para nortear nossa vida de adoração ao Deus verdadeiro e de comunhão com os nossos irmãos.

Em Apocalipse 14.6-8, lemos: “Vi outro anjo voando pelo meio do céu, tendo um evangelho eterno para pregar aos que se assentam sobre a terra, e a cada nação, e tribo, e língua, e povo, dizendo, em grande voz: Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas. Seguiu-se outro anjo, o segundo, dizendo: Caiu, caiu a grande Babilônia que tem dado a beber a todas as nações do vinho da fúria da sua prostituição.” Esse texto nos fala de um evangelho eterno para ser pregado  a cada nação, tribo, língua e povo… para ser pregado em grande voz… e o teor desse evangelho eterno é: “[…] Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” Que texto claro a respeito da adoração ao Deus Criador! Esse texto nos fala de um evangelho eterno. A adoração ao Deus verdadeiro já acontecia antes da criação de todas as coisas e depois de tudo que existe deixar de existir, Deus continuará sendo adorado. Antes do princípio de todas as coisas Ele era adorado pelos santos anjos, hoje Ele é adorado pelos santos anjos, por homens, mulheres, adolescentes, crianças que o reconhecem como o Deus Criador, mas virá o dia em que o Senhor será adorado somente por anjos, homens e mulheres que aceitaram a redenção por meio do sacrifício, do sangue de Jesus Cristo, pois estamos vivendo na dispensação (espaço de tempo) da graça, enquanto Deus aguarda que mais e mais pessoas se convertam a Ele por meio de Jesus Cristo.

Vivemos dias em que as pessoas são religiosas e a religião é o que elas estão preparando para oferecerem a um Deus que não está interessado em religião e sim nas pessoas. É importante frisar que a religião, na sua maioria, reconhece a Deus como o Criador, Arquiteto do Universo, Origem de tudo e todos, Aquele lá de cima, enfim, cada pessoa reconhece, de alguma forma, que Deus é Deus. Até mesmo o ateu, ao negar a existência de Deus afirma que Ele existe. Pois, se não existisse não precisava ser negado. Mas, o que necessita ficar claro é que Deus elegeu um meio por meio do qual qualquer pessoa pudesse se achegar a Ele. E esse meio, essa ponte, essa ligadura é Jesus Cristo. Aleluia!

Segundo os estudiosos a palavra religião vem do termo “religare”, ou seja, o ser humano é religado, ligado de novo ao Deus Criador. Jesus Cristo é exatamente esta conexão com Deus, logo, Jesus Cristo é a nossa “religação”, nossa religião. Não basta apenas crer que existe Deus. Adorá-lo é preciso. Não há adoração sem sacrifício sobre o altar. Para isso precisamos de um cordeiro – Jesus é o Cordeiro, o sacrifício por intermédio do qual temos acesso ilimitado ao trono da graça, pela graça e de graça.

No tempo presente, os verdadeiros adoradores já estão em franca operação e crescimento, mas, de certa forma, estão misturados com todos aqueles que, acreditam no poder de Deus, embora ainda não tenham se posicionado em relação ao maravilhoso sacrifício do Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo – Jesus Cristo. E esse maravilhoso e misericordioso Deus, aguarda para que os mesmos se convertam a Ele seguindo os princípios que estão claramente expostos na Bíblia Sagrada. Pois, o desejo do Senhor: “[…] o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.” Essa verdade é Jesus Cristo. Só Ele é o Cordeiro escolhido por Deus para propiciar a nossa salvação. Portanto, Ele é o Único através de quem nos aproximamos de Deus para adorá-lo. Ele é o Caminho oficial estabelecido por Deus. Lembre-se: sem o cordeiro não há adoração – Jesus Cristo é o cordeiro. Adore ao Cordeiro!

Deus o abençoe.

Por Antônio Cirilo


Publicado por às 6:10 pm




Comentários

Fábrica Imaginária